Todo dia um olhar, uma foto, um lugar. Por que viajar é nosso único patrimônio.

Archive for Agosto, 2011

Tranquilidade

 

lagoacassange (4)

A grama que cresce à vontade, os cocos que caem ao prazer do vento, a vida fica de preguiça os recantos da Bahia.
Península de Marau – Brasil, novembro de 2007.


Mais uma dose é claro

 
torresdelpaineblog17[8]
Impressionada com a cor do gelo, não tiro os olhos das águas torcendo para que chegue mais perto. Torres del Paine – Chile, novembro de 2010


Em busca de faróis

 

DSCN1059As longas viagens que nos transportam por caminhos desertos, por pequenas vilas, pelo farol que ansiamos ver nas navegadas noturnas.
Corumbau – Brasil, novembro de 2007.


A ilha lunar

 

 

DSC01008

O mar que é tão azul, contrasta com o aspecto lunar das montanhas da Ilha de Trindade -  Brasil, janeiro de 2004.


Verde amaro

 

 

spartochori M (25)

A sagrada oliveira grega,  como uma gota verde. pouco antes de se transformar no doce azeite de sabor delicado, uma poesia para o paladar.
Spartochori – Meganisis – Grécia, agosto de 2011.


Longo como o mar para navegar

 

 

Caburé (13)

Caminho por longas praias, toco com os pés o céu salgado refletido na areia molhada. Caburé – Maranhão – Brasil, março de 2011.


A história em degraus

 

 

kerkyra city (23)

Percebo os detalhes nas cores, nos cantos, os ângulos. Kerkyra City –Grécia agosto de 2011.


No cinza

delta (56)

Caranguejo caminha no mangue na vazante da maré, sua cor é o charme do lugar. Tutóia – Brasil, abril de 2011.


Corre o vento

RegSaveiroitaparica (25)

As velas da Bahia, correm no mar, no vento e na correnteza seus destinos são iguais.
Itaparica – Brasil, novembro de 2008.


Alla rovescia

lefkas (52)

Vendo o que não é, no reflexo do que está. Lefkas –Grécia, agosto de 2011.


Forte São Marcelo

 

 

Chegadamiroca (18)

Manhã nublada, calor baiano, a vida nas águas da Baia de Todos os Santos – Salvador – Brasil, novembro de 2008.


Il fiori di Capperi

 

 

 

tremiti M (42)

Pedras empilhadas, histórias recontadas, nas frestas nasce indiferente as alcaparras em flores e a gaivota posa para a foto.
Ilha San Dominica –Itália, julho 2011.


Cenário

 

 

matera (53)

Dentro da pedra, a caverna, a casa, a história. Sassi em Matera – Itália, setembro de 2010


Manhã

 

 

riodejaneiro (17)[15]

De manhã muito cedo ganho de presente a chegada no Rio, com suas montanhas, seu mar suas ilhas, suas maravilhas.
Rio de Janeiro – Brasil, fevereiro de 2009.


Verde

 

 

JardimBot (9)

As folhas e flores, os lagos e águas, um Jardim o Botanico – Rio de Janeiro- Brasil, novembro de 2009.


Mesmo longe, chega

DSC01007[5]
O melhor do caminho foi a companhia do profundo azul vilota do mar. Uma ilha que povoa o imaginário dos navegantes.
Ilha de Trindade – Brasil, janeiro de 2004


No caminho das gerais

 

 

grutasalitre (8)

No meio do nada, numa estrada de terra vermelha, existe a Gruta do Salitre. Diamantina – Brasil, abril de 2010.


Pedras sobre pedras

 

 

cemiteriotoconao (1)

Sem nomes, sem cruzes, somente pedras empilhadas marcam o cemitério indígena. San Pedro de Atacama – Chile, novembro de 2010.


A neve eterna

 

glaciarpmoreno (51)[14]

Eterno é algo que demora muito, mas por aqui o eterno é branco e frio. Essa foto foi de dentro do carro porque estava frio de verdade lá fora.
El Calafate – Argentina, novembro de 2011.


De baixo d’água

 

 

posadas (19)

Quando abre a barragem, na época das chuvas, a água inunda tudo à beira do rio.
Posadas – Argentina, outubro de 2010.


Moreno blanco

 

glaciarpmoreno (5)
O sol apareceu para a foto, por delicadeza nos aqueceu do frio gelado do Glacial Perito Moreno – Argentina, novembro de 2010.


Na primeira ilha

 

ereikoussa

Chegando de barco a primeira ilha que nos recebe é delicada. coberta de oliveiras, com se mar azul e transparente,
é assim as boas vindas gregas. Ereikoussa – Grécia, julho de 2011.


Sob a ponte

 

 

Dubrovnik-21

Conhecer a Dalmatia é uma descoberta nova todo dia. Dubrovnik – Croácia, agosto de 2006.


Por aqui

 

 

lefkas (18)[5]

Esse é o antigo canal  para atravessar a ilha de Lefkas,  ao lado da fortaleza do Farol, hoje quase uma lâmina d’água.
Lefkas – Grécia, agosto de 2011.


Da minha gaiuta

 

 

Bari (32)Bari (33)

 

 

 

 

Porto de Bari – Itália,   julho de 2011.


Acrópole

 

 

athina (58)

Cada pedra, todas juntas são parte da história, da mitologia, do passado da humanidade. Atenas – Grécia, agosto 2008.


o verde da Grécia

 

ereikoussa M(66)

O abandono , o esquecimento, natureza buscando sua sobrevivência e domínio. Ereikoussa – Grécia, julho 2011.


Sombra e água fresca

 

 

 

raposa (13)

Caminhar pelas areias enquanto o mar não vem.. Eu escolho ficar de preguiça na rede.  Raposa – Brasil, março de 2011.


O pouco

 

 

2011-07-27 20.42.39

Detalhes como ver o sol tocando o mar num longo beijo ao poente, que me confirmam que se precisa de pouco para se encantar.
Entre os mares, Iônico e Adriático


Da janela lateral

 

 

alcantara (61)

Sol do meio dia, sombra sob meus pés. Entrava pela porta da história abandonada. E das janelas podia ver o passado flertando o presente.
Alcântara – Brasil, março de 2011.


Tramonto

 

 

bisceglie (21)
Happy hour de fronte para o mar, para o por do sol. Bisceglie- Itália, julho de 2011.


Dias de verão

 

 

glaciarpmoreno (15)

Estou num lugar tão quente agora que me deu saudades desse friozinho e de ter todo  esse gelo no meu copo de limonada.
Glacial Perito Moreno – El Calafate – Argentina, novembro de 2010.


Existem praias e praias

 

 

bisceglie (29)

Não existe areia grudada na gente, mas pra entrar na água precisa usar havaianas,
nada como um dia muito quente para ter vontade de se jogar na água fresca do Adriático. Bisceglie – Itália, julho de 2011.